Voltar à Página Principal
 

COUSINHA - Electromecânica e Informática, Lda
Relógios de Torre e Sinos

Criado em 27 de Julho de 1999

Continuadores de:
"A Boa Construtora" - Fábrica Nacional de Relógios Monumentais
Almada - Portugal

Contactos


 

 




https://youtu.be/B0rjD9Fp-kQ

Modelo DMC-370

Relógio-carrilhão electrónico digital computorizado, totalmente automático, transmitindo para altifalantes no exterior, através de um amplificador de som os toques horários como se fossem sinos reais.

Altifalantes (projectores de som)
 
Amplificador de som
A substituição lógica
Carrilhões mecânicos analógicos muito antigos, que actualmente estão a ser substituidos pelas novas tenologias de relojoaria de torre, digitais compotorizadas. Série "DCM".

Íman acoplado a uma bobina (electroíman) criando um campo magnético com a função de captar o som gerado por batimentos de uns pequenos martelos sobre umas varetas de aço. É o que corresponde aos conhecidos "tubular bells" (tubos de latão) que ao serem batidos por um martelo de madeira, ou fibra, produzem um som parecido com sinos de bronze campanil). Os sons captados, são transformados em impulsos eléctricos e enviados a um amplificador. O dito amplificador após fazer a sua função, ou seja, amplificar os impulsos eléctricos recebidos do electroíman, envia-os às "pinhas" dos altifalantes, que os converte em som.

 

 

 

 

Interruptor de ampola de mercúrio com a função de ligar o amplificador de som, dois minutos antes do relógio iniciar os toques horários, e desligar dois minutos depois do final dos toques.

Se deseja substituir, somente, o antigo relógio-carrilhão e aproveitar o amplificador de som e os altifalantes existentes, o DMC370 é o modelo ideal. Até nem é necessário substituir a instalação eléctrica existente. Temos preços para todas as opções.

Carregar aqui para ver e ouvir o som do carrilhão, saber preços, condições de fornecimento e todo o tipo de esclarecimentos

Carregue na imagem para ver foto
O maior relógio-carrilhão mecânico do mundo (inspirado na técnica da relojoaria de edifícios Morez-du-Jura) construido em Portugal por Manuel Francisco Cousinha em 1947
Instalado na Igreja de Nossa Senhora de Fátima no Porto. Actualmente, o Carrilhão encontra-se desactivado
Veja como o relógio-carrilhão foi transportado até à Cidade do Porto

Iniciámos a nossa actividade em 1930, como construtores e instaladores de relógios e carrilhões mecânicos de torre, destinados a Igrejas, Monumentos, Edifícios Públicos, etc. Em 1980, deixámos de construir relojoaria mecânica, devido ao advento da relojoaria eléctrica e computorizada. No ano de 1999, a antiga "A Boa Construtora" - Fábrica Nacional de Relógios Monumentais, deu lugar à actual "Cousinha, Lda".

Com o fim da construção dos sistemas mecânicos, estamos dedicados ao restauro e recuperação de todo o tipo de relojoaria mecânica, de torre, não só construída por Manuel Francisco Cousinha, como também de todos os maquinismos importados.
Com o advento dos sistemas de distribuição horária electromecânica e mais tarde com o surgimento dos sistemas computorizados, também nos dedicamos à sua importação, instalação e reparação, bem como aos respectivos acessórios.

Quem é que podia imaginar, há alguns anos, que um sacristão ou mesmo o Pároco podiam accionar, no conforto da sua casa e através de um comando à distância, os toques e bamboares (movimento vaivém) dos sinos previamente programados?
Mesmo por telemóvel (GSM) é possível comandar estes sistemas computorizados de distribuição horária, a partir de qualquer parte do mundo.

Existimos, não só para servir o Cliente que gosta de preservar o património da sua terra ou região, restaurando e recuperando maquinismos mecânicos e funcionais por muitos anos, continuando assim a cumprir a tradição, como estamos aptos para contentar quem opta por relojoaria digital computorizada, totalmente automática.
Faça-nos uma consulta. Deslocamo-nos ao local sem encargos nem compromissos. Temos soluções para cada caso.

Contacte-nos.

 
Maquinismo de relógio mecânico, totalmente restaurado e reinstalado na torre da Igreja de Roxo, Concelho de Penacova, Distrito de Coimbra. Toca as horas e meias-horas num sino de bronze, fazendo girar ponteiros exteriores em três mostradores de mármore, já existentes. Instalado em 1972. Restaurado em 2020.
Ver vídeo do maquinísmo a funcionar

Vai-se iniciar e reparação do sistema de relojoaria mecânico, já centenário, da Torre Pública da Cidade de Nisa, Concelho de Nisa, Distrito de Portalegre. Já com alguns problemas de funcionamento nos quatro mostradores exteriores e o maquinismo do relógio, existente no interior da torre sineira, a apresentar bastantes folgas, o funcionamento do sistema era irregular e com constantes paragens.
Assim, o Município de Nisa após estudar as propostas apresentadas, resolveu adjudicar a obra à Firma Cousinha, Lda. Logo que as condições sanitárias, resultantes da presente pandemia, não estiverem tão rigorosas, avançaremos para a Cidade de Niza.


Após a conclusão dos trabalhos de requalificação do edifício da torre do relógio, de Amareleja, a Câmara Municipal de Moura juntamente com a Fábrica da Igreja de Amareleja, Junta de Freguesia de Amareleja e E.B. I. de Amareleja, irão realizar um concerto de inauguração desta nova sala de espetáculos.

A iniciativa terá lugar no próximo dia 9 de novembro, pelas 20:00, e integra a atuação de vários grupos locais, designadamente,a Banda da Sociedade Filarmónica União Musical Amarelejense, Grupo Coral da Sociedade Recreativa Amarelejense, Grupo Coral “Espigas Douradas”, Grupo Coral da Casa do Povo de Amareleja, Pequenos Cantores de Modas da E.B.I. de Amareleja, Clube de Teatro da E.B.I. de Amareleja e Grupo Musical “Os Canalhas”.

Refira-se ainda que este evento terá entrada livre.

http://www.jf-amareleja.pt/

NOTA: O sistema de relojoaria computorizada existente na Torre Pública da Vila de Amareleja, foi totalmente reparado pela nossa Firma: Cousinha, Lda.


   
      Restauro completo do maquinismo do relógio mecânico existente na torre sineira do edifício do Município de Alvito, Distrito de Beja  

“Marcador de tempo” construído e instalado na Catedral de Miranda do Douro provavelmente no século XVIII. O seu autor é desconhecido. Esta peça de relojoaria está exposta no Museu da Catedral.
Limpeza, pintura e recuperação possível feita pela nossa Firma. Tutela da Direcção Regional de Cultura do Norte: DRCN
Em acabamentos no exterior da nossa oficina